Elogios não me elevam, ofensas não me rebaixam, sou o que sou e não o que acham. Não sou de cá...mas vim para ficar. Esta é a minha terra do coração. Divirtam-se e apareçam por aqui....ROXA.

10
Set 08

Este texto é um dos bons registos que eu tenho lido sobre a nossa digníssima 'língua de Camões', a tal que tem fama de ser pérfida, infiel ou traiçoeira.



Um político que estava em plena campanha chegou a uma pequena cidade, subiu para o palanque e começou o discurso:

 

- Compatriotas, companheiros, amigos! Encontramo-nos aqui, convocados, reunidos ou juntos para debater, tratar ou discutir um tópico, tema ou assunto, o qual me parece transcendente, importante  ou de vida ou morte. O tópico, tema ou assunto que hoje nos convoca, reúne ou junta é a minha postulação, aspiração ou candidatura a Presidente da Câmara deste Município.

De repente, uma pessoa do público pergunta:

- Ouça lá, porque é que o senhor utiliza sempre três palavras, para dizer a mesma coisa? O candidato respondeu:

- Pois veja, meu senhor: a primeira palavra é para pessoas com nível cultural muito alto, como intelectuais em geral; a segunda é para pessoas com um nível cultural médio, como o senhor e a maioria dos que estão aqui; A terceira palavra é para pessoas que têm um nível cultural muito  baixo, pelo chão, digamos, como aquele alcoólico, ali deitado na esquina.


De imediato, o alcoólico levanta-se a cambalear e 'atira':

- Senhor postulante, aspirante ou candidato: (hic) o facto, circunstância ou razão pela qual me  encontro num estado etílico, alcoolizado ou mamado (hic), não implica, significa, ou quer dizer que o meu nível (hic) cultural seja ínfimo, bai xo ou mesmo rasca
(hic). E com todo a reverência, estima ou respeito que o senhor me merece (hic)pode ir agrupando, reunindo ou juntando (hic) os seus haveres, coisas ou bagulhos (hic) e encaminhar-se, dirigir-se ou ir direitinho (hic) à leviana  da sua progenitora, à mundana da sua mãe biológica ou à puta que o pariu!

publicado por roxa1 às 13:51

09
Set 08

 

 

 

 Jeff Green, o americano que conserva o cadáver de sua esposa dentro de um caixão de vidro em sua sala: 'Não pude suportar a dor da morte de minha mulher, então trouxe-a de volta para casa'. Assim começa o depoimento do viúvo Jeff Green, 32, que vive no Arizona - EUA. A encaixotada tinha um problema de nascença no coração, que causou sua morte prematura aos 29 anos.

 

 

'Algumas pessoas deixaram de freqüentar minha casa porque têm medo de Lucy, mas meus verdadeiros amigos  respeitaram minha decisão e já se acostumaram a vê-la aqui, além disso é uma bela peça de decoração'.

 

 

publicado por roxa1 às 16:10

publicado por roxa1 às 16:09

03
Set 08

Como era linda com o seu ar namoradeiro
Até lhe chamavam menina das tranças pretas
Pelo chiado caminhava o dia inteiro
Apregoando raminhos de violetas

E as meninas da alta roda que passavam
Ficavam tristes ao olhar o seu cabelo
Quando ela olhava, com vergonha o disfarçavam
E pouco a pouco todas deixaram cresce-lo

Passaram dias e as meninas do chiado
Usavam tranças enfeitadas com violetas
Todas gostavam do seu novo penteado
E assim nasceu a moda das tranças pretas

Da violeteira já ninguém tem esperança
Deixou saudades foi-se embora e à tardinha
Está o chiado carregado de mil tranças
Mas tranças pretas ninguém tem como ela as tinha

 

publicado por roxa1 às 16:03

01
Set 08

publicado por roxa1 às 17:20

AS NOVAS SANITAS DO ESTÁDIO DO DRAGÃO

 

publicado por roxa1 às 17:20

Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
15
16
17
20

21
23
24
25
27

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO